TCE diz não ter informações sobre CPFs Premiados na Assembleia

O Piauí é o estado em que os órgãos fiscalizadores não fiscalizam nada e servem apenas como um teatro para sugar os cofres públicos. Solicitei ao Tribunal de Contas do Estado, através de sua ouvidoria, em quais gabinetes estão lotadas as filhas de Flora Izabel e seu genro na Assembleia Legislativa lá (eles têm CPF Premiado). O TCE me respondeu informando que NÃO POSSUI ESSAS INFORMAÇÕES.

A Presidente do TCE, Lilian Martins, em despacho afirmou que só solicita essas informações quando há investigações, o que não é o caso.

Ora, se as informações não são disponibilizadas, como uma investigação acontecerá? As duas filhas da Flora Izabel são COMISSIONADAS da Assembleia Legislativa enquanto há parentes de parlamentares da Assembleia que são COMISSIONADOS de Flora – só isso já é suficiente para fazer um levantamento sobre a possibilidade de haver nepotismo.

Em outro despacho, feito pelo auditora de controle externo, Liana Melo, ela afirma que o TCE não possui os nomes dos comissionados e nem suas lotações na Assembleia Legislativa e admite que nem no site da casa legislativa possui tais informações.

Todo órgão público é obrigado a disponibilizar os nomes de seus comissionados. A Assembleia Legislativa não divulga, o que é crime contra a Lei de Transparência. O Tribunal de Contas do Estado SABE DISSO, e nada faz. O Ministério Público sabe disso, e nada faz.

O Piauí tem chance de dar certo com órgãos fiscalizadores CÚMPLICES dos crimes da Assembleia Legislativa?