Assembleia Legislativa / Corrupção / Piauí · 29 de julho de 2021

#TBT – Em 2011, uma operação da Polícia Federal investigou um desvio milionário na Assembleia Legislativa

Muitos piauienses sabem, por alto, sobre a premiação que Themistocles Filho dava para os deputados em forma de Hilux, todos os meses. Mas vamos contar mais detalhes dessa história.

Em 2011, a Polícia Federal abriu uma investigação sobre pagamentos mensais na casa de R$ 100 mil para os deputados estaduais. A justiça chegou a pedir a quebra do sigilo bancário dos parlamentares.

Foram investigados Themistocles Filho, Robert Rios, Ana Paula (esposa do deputado Zé Santana), Flora Izabel, Kleber Eulálio entre outros.

À época foi descoberto que, mensalmente, um deputado era contemplado com uma quantia ou um carro luxuoso de presente. A explicação foi que se tratava de um consórcio feito entre os parlamentares.

Possivelmente, se tratava de desvio de dinheiro das sobras do duodécimo – a quantia que o Governo do Estado repassa para as despesas da Assembleia Legislativa e que sobram (o correto seria a Assembleia realizar essa devolução).

Sem acesso aos contracheques dos deputados, lamentavelmente, não se consegue investigar adequadamente esse crime.

Após uma manobra feita por Robert Rios, a operação saiu da Polícia Federal e foi para a Polícia Civil e, logo depois, o caso foi arquivado.