Portal criado em fevereiro e sem acessos recebeu R$ 150 mil da Prefeitura de Teresina

Hoje pela manhã publicamos que o Portal Pin Piauí, que foi criado em fevereiro e tem registro nulo de acessos, recebeu R$ 100 mil da Prefeitura de Teresina. Precisamos corrigir nosso erro: o portal fantasma recebeu R$ 150 mil.

Além dos pagamentos de R$ 50 mil em cada um dos meses de agosto e setembro, como havíamos informado, encontramos mais uma autorização de pagamento de R$ 50 mil no mês de julho.

Além desse portal, vários outros meios de comunicação fantasmas – que não existem ou não são atualizados – como CIC, Portal 224, Informe entre outros existem apenas na folha de pagamento, mas não estão nas redes sociais e nem possuem sites.

O Pin Piauí pertence a Liana Aragão, ex-assessora de Fábio Abreu e assessora da Secretaria de Segurança Pública. Apesar de estar em seu nome, ele é usado por criminosos como Marciano Arraes, que utiliza de calúnias contra inimigos de Robert Rios em grupos de Whatsapp.

Desde o início do ano a prefeitura começou a derramar dinheiro público para TVs e no meio do ano começou a sangria de dinheiro público para portais sem acesso nenhum que funcionam como propagadores de mentiras a mando de Robert Rios.

O coordenador de Comunicação da prefeitura, Lucas Pereira, chegou a afirmar em uma postagem que estávamos divulgando apenas orçamentos e que esses valores não haviam sido pagos. Mentira do Lucas, como essa autorização de pagamento que estamos publicando demonstra.

O vice-prefeito reuniu uma tropa de criminosos de Whatsapp para criar histórias falsas sobre seus pretensos inimigos – é o crime organizado que agora está sendo liderado pelo ex-delegado que passou para o lado dos bandidos e tem todo o dinheiro da prefeitura a sua disposição.