Corrupção / Justiça / Teresina · 19 de julho de 2021

Para evitar pressões políticas, abrimos uma representação contra Rejane Dias no Conselho Nacional Público

Para evitar que qualquer tipo de pressão política ocorra nessa investigação, abrimos uma representação no Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP) sobre o caso de Rejane Dias ter furado a fila da vacinação. A manifestação está sob o número 20210000215.

Entenda o caso:

No dia 5 de julho, o Governador Wellington Dias publicou uma foto afirmando que sua esposa, Rejane Dias, estava finalmente se vacinando. Segundo informações da Fundação Municipal de Saúde de Teresina, no entanto, ela se vacinou no dia 28 de maio.

Após a farsa ser exposta pelo O Piauiense, Wellington Dias emitiu uma errata declarando que Rejane se vacinou mesmo no dia 28 de maio e que foi um erro de sua assessoria. O motivo da vacinação antes da data de sua idade seria porque ela teve um câncer na tiroide em 2019.

Porém, mais uma vez, O Piauiense revelou que era uma mentira: câncer na tireoide, segundo a Sociedade Brasileira de Endocrinologia, não dá prioridade na vacinação contra COVID-19. Ainda mais um tratamento feito há 2 anos.

Abrimos uma representação no Ministério Público do Piauí, porém, Rejane Dias tem foro privilegiado por ser deputada federal. O caso foi direto para a Procuradoria Geral para ser analisado. Para evitar pressões políticas, abrimos uma denúncia no CNMP que é o órgão responsável por investigar os Ministérios Públicos Estaduais.

Agora o caso pode ser investigado por promotores de fora do Piauí, sem vínculos com nosso estado.

Não vamos deixar mais esse desrespeito com o povo piauiense sair impune.