E o “congelamento” do ICMS por Wellington Dias, como ficou?

Se você não entendeu o “congelamento” do ICMS pelo governador Wellington Dias, vou explicar para você o que ele fez e porque isso é inútil (tanto é que não mudou nada no preço do combustível).

Ao contrário do que foi divulgado, o que Wellington Dias congelou foi o PMPF (preço médio ponderado final), ou seja, é a base de cálculo que o ICMS utiliza para determinar quanto é o imposto. Quinzenalmente, a Secretaria de Fazenda – do Rafael Fonteles – calcula a média de preço dos combustíveis que serão vendidos no Piauí. A partir desse valor, ele determina sobre quanto os 31% do ICMS irão incidir.

A ideia de Wellington Dias é que esse PMPF ficaria congelado, ou seja, não aumentaria caso o combustível aumentasse. O problema é que a gasolina JÁ ESTÁ CARA e o ICMS já incide sobre um valor alto do combustível. No máximo que isso pode fazer é desacelerar algum aumento.

É por isso que esse congelamento do PMPF é inútil e não fez diferença nenhuma porque foi congelado e não reduzido. Se Wellington Dias determinasse que o ICMS ficaria menor – mesmo que temporariamente, como fizeram alguns governadores – isso sim poderia ter efeito sobre o combustível.

Essa é mais uma mentirinha de Wellington Dias para tentar convencer a população de que seus altos impostos não fazem diferença na vida das pessoas – fazem sim e é isso o que torna o Piauí um lugar muito pobre, mas muito caro de se viver.