Assembleia Legislativa / Corrupção · 25 de abril de 2022

A farra das emendas parlamentares no Piauí

Na última semana, O Piauiense denunciou mais um escândalo utilizando dinheiro público: a farra das emendas parlamentares que os deputados estaduais estão fazendo.

Um dos casos foi de Marden Menezes, que enviou R$ 200 mil para um evento e se colocou como patrocinador particular (seu próprio nome apareceu no cartaz). Isso é crime eleitoral. Em outro caso, o mesmo deputado enviou R$ 100 mil para um festival de churrasco que cobra R$ 300 para quem quiser participar.

É picanha para eles enquanto o povo passa fome.

Outro caso grave foi de Warton Lacerda, o deputado que enviou mais de R$ 500 mil para o time de Altos que ele próprio é o presidente. Ou seja, Warton transformou dinheiro público em privado e ele mesmo vai administrar essa grana.

Flávio Nogueira Jr destinou R$ 260 mil para um evento em cidade com 3 mil habitantes e colocou seu nome e do seu pai como patrocinadores – só esqueceram de dizer que usaram dinheiro público nesse patrocínio.

Na EXPOAPI, O Piauiense mostrou que esses mesmos deputados estavam mandando dinheiro para os shows de bandas nacionais enquanto diziam que estavam investindo no “agronegócio”. Até os vereadores de Teresina Pastor Levino e Neto do Angelim tentaram fazer parte da farra na EXPOAPI, destinando emenda para uma associação fantasma. O esquema foi cancelado após nossa denúncia.

É isso o que o Piauí se tornou: os políticos não diferenciam mais dinheiro público de privado e nós estamos pagando a conta dessa farra que empobrece os piauienses.