O problema dos ônibus de Teresina continua com novos terminais: o cartel das empresas de transporte coletivo

Mercados fechados nunca funcionam muito bem. Quer ver um exemplo? Tim, Oi, Vivo e Claro – desde que você, leitor, se lembre, eram sempre essas mesmas empresas que operam, desde a privatização, o setor de telefonia no Brasil. E o que vemos? Preços abusivos, péssimo atendimento, enganações. Do mesmo jeito, quem é de Teresina já sabe que, há décadas, são as mesmas empresas que atuam no transporte coletivo da cidade – sem nenhuma mudança.

Os novos terminais – que devem iniciar parcialmente amanhã (06/03) – prometem melhorar a mobilidade dos ônibus e podem até entregar isso (o que é difícil), mas o problema dos ônibus de Teresina não é esse: e sim que é um mercado fechado, onde poucos empresários tem liberdade de atuar no setor, controlando os preços abusivos e oferecendo péssimos serviços.

Mesmo que o transporte coletivo flua melhor com os terminais, os ônibus podem continuar péssimos e as passagens caras para as distâncias de Teresina – isso são coisas que não irão mudar.

Se fosse um mercado saudável, onde qualquer um pudesse atuar e quem tivesse uma van ou um ônibus pudesse trabalhar na área, aí existiriam ônibus mais simples e mais baratos e outros mais luxuosos e mais caros, para todos os gostos.

E saiba que isso já aconteceu: o Timon City ofereceu melhores preços com melhor qualidade. Teve seus ônibus destruídos por vândalos (que nunca foram descobertos) e quase foi proibido de trabalhar em Teresina.

Então, não se anime com essas falsas novidades propagadas: enquanto um cartel das mesmas empresas continuarem, os serviços continuarão péssimos.

LEIA MAIS: 

Por que a população aceita o cartel de ônibus de Teresina?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *