Gastos com quentinhas, na Secretaria de Segurança de Fábio Abreu, aumentaram mais de 800% em 3 anos

De acordo com documentos obtidos pelo O Piauiense, a Secretaria de Segurança do Piauí, na gestão de Fábio Abreu, gastou mais de R$ 4 milhões em quentinhas e kit lanche no período de 3 anos. A compra, feita sem licitação, foi feita na empresa A. Ferreira da Silva Restaurante. O que mais espanta, no entanto, é que no ano de 2015, o gasto foi de R$ R$ 226.993,66 e em 2016 saltou para R$1.928.446,65 – um aumento de mais de 800%. 

Segundo aponta o Relatório do TCE: “Trata-se de despesas despesa manifestamente ilegal sem cobertura contratual”. Em 2017, os gastos mais uma vez saltaram para R$ 2.333.983,68.

Somando todos os anos de 2015, 2016 e 2017, os gastos totalizam um valor de R$ 4.489.423,99.  Se cada quentinha fosse comprada no valor de R$ 12 – o valor médio de quentinhas compradas no varejo em restaurantes populares – seria possível comprar cerca de 341 quentinhas/dia de domingo a domingo, durante os 3 anos.

Fica o questionamento: por que tanto aumento de gastos com quentinha entre os anos de 2015 e 2016/2017? Por que as compras não foram feitas com licitação e contrato regulamentando tudo?

Com a palavra, o então secretário de Segurança, Fábio Abreu.


Somos mídia independente. Precisamos do seu apoio!

O Piauiense é um meio de comunicação independente que não aceita e nem nunca aceitará dinheiro público. Fazemos matérias que você não encontra na mídia tradicional, alinhada com interesses políticos. Por isso, precisamos da sua ajuda para continuar o nosso trabalho. Faça uma doação de apenas R$ 10 e ajude a fazermos um jornalismo livre. Clique aqui para fazer sua doação.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *