Estamos batendo nos políticos para receber dinheiro deles?

Recentemente fechou com um jornal contrato milionário para divulgações de seu trabalho

Desde que O Piauiense começou, há alguns meses, fazendo textos críticos a TODOS os políticos, desde o prefeito de Teresina até o governador do Estado, em especial em relação ao mau uso do dinheiro público, já surgiram algumas pessoas questionando: DE QUE LADO VOCÊS ESTÃO? Muitos, inclusive, afirmaram que só estamos “batendo” (criticando) para receber alguma coisinha deles. E então, será se é isso que estamos fazendo?

Em primeiro lugar, existe essa crença real no Piauí: os meios de comunicação só criticam um determinado político porque querem ser patrocinados por eles. Após receber “uma verbinha”, se calam e começam a defendê-lo. Isso realmente acontece: a grande maioria dos meios de comunicação e dos jornalistas do nosso estado são garotos de recado de políticos, estão sempre trabalhando para manter tudo que está aí funcionando da mesma forma. E isso é um péssimo sinal.

O Piauiense não funciona assim e jamais funcionará. Não somos um portal de notícias e sim um site de análise da mídia e de informações. Você nunca verá notícias aqui do tipo “Governador Wellington Dias inaugura obra”. Essas informações irrelevantes podem ser encontradas nos outros portais. Mas, você pode encontrar um texto analítico sobre o governador Wellington Dias ter inaugurado uma obra de forma irregular durante a campanha eleitoral e nenhum jornalista ter dito absolutamente nada (isso é só um exemplo, mas que pode acontecer).

Acreditamos que a sociedade civil deve ser o motor do progresso e não os políticos. Acreditamos que devemos tirar os políticos do centro da vida social e colocar o povo, que é quem realmente produz alguma coisa. Um político não produz 1 centavo, todo o dinheiro que ele utiliza veio do trabalho de outra pessoa e mesmo assim ele utiliza mal esse dinheiro, apenas para proveito próprio. Acreditamos que devemos cobrar, pressionar e lutar para acabar com essas práticas que estão usando O NOSSO dinheiro. Até quando vamos aceitar ser capachos dessa gente?

Jornalismo amordaçado

Viver de dinheiro público é mau caratismo

A partir do momento que um jornal ou portal recebe dinheiro público, ele perde totalmente sua credibilidade. Um único centavo recebido, até mesmo para colocar um “banner” no site, compromete eternamente o trabalho daquele meio. Como um profissional, que tem como serviço investigar os poderosos, pode ter qualquer seriedade e honestidade em seu trabalho se o dinheiro que ganha vem desses mesmos poderosos? Tudo o que ele disser sempre estará enviesado por quem está pagando o seu salário.

O dinheiro público é do povo

Receber dinheiro público, em nome da propaganda oficial do governo, é receber dinheiro que poderia ir para educação, segurança, saúde. Os corruptos roubam, devolvem um pouquinho do roubo para o povo e ainda são chamados de heróis e aplaudidos pelos que foram roubados como se estivesse fazendo um favor! Leiam a nossa matéria que diz 5 coisas muito mais importantes que poderiam ser feitas com o dinheiro que o governo gasta com publicidade.

Quem recebe esse dinheiro está do lado do atraso em que o Piauí se encontra, mesmo que isso seja legal. Nem tudo o que está na lei, é moralmente aceitável.

E como vamos sobreviver financeiramente?

Mais de 20 anos fazendo nada no Legislativo

Não existe só dinheiro público. Aliás, nem existe dinheiro público: esse é dinheiro que deveria estar no bolso dos cidadãos e está sendo usado por políticos como Wellington Dias e Firmino Filho para fazer propaganda de seus próprios governos e se manter no poder, vencendo eleição após eleição. A classe empresarial pode contribuir e, em breve, também podemos aceitar doações. No mais, as pessoas que fazem o Piauiense tem seus empregos e não precisam de dinheiro vindo diretamente deste meio para sobreviver.

Lute para acabar com essa prática

Será difícil e, provavelmente, quase impossível, mas é preciso lutar. Só o Themístocles Filho está há cerca de 20 anos na como presidente da Assembleia Legislativa, Wellington Dias está no seu 3º mandato (12 anos) e Firmino Filho entra no seu 4º mandato (16 anos) – depois de tanto tempo com essas mesmas caras, você acha que alguma coisa vai mudar? Claro que não. O dinheiro que os meios de comunicação recebem – e que, consequentemente, deixam de denunciar alguma prática corrupta dos políticos – têm consequências desastrosas para o Piauí, nos deixando em último nos rankings nacionais em um país que já é, internacionalmente, o último em vários rankings.

Você quer ser parte do problema ou da solução?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *